Descubra as principais diferenças entre vestido de noiva vintage e boho chic e veja qual é o estilo daquele que você se apaixonou!
Esse é um dos estilos que  muitas noivas consideram diferentes pela ousadia nos detalhes, a leveza no tecido, por fugir dos modelos clássicos e por combinar com o lugar que a noiva escolheu para casar… principalmente se o casamento for durante o dia, ao ar livre, numa praia e com muito romantismo.

Todo finalzinho de ano, a Pantone (uma empresa mundialmente conhecida por seu sistema de cores com foco na indústria gráfica) define uma cor que irá simbolizar o próximo ano na moda, e também na decoração.

É como se fosse uma mensagem representada através de uma cor, e pra 2019 será o Living Coral – que remete as nossas necessidades a experiências íntimas e autênticas, um contato maior entre as pessoas, que nada mais é do que um reflexo que as mídias sociais está trazendo para nossas vidas.

Imagine ter um vestido atemporal, que poderá usar sempre independente do tempo que passar… e ainda te salvar quando você mais precisar?

Foi isso que eu imaginei quando vi uma foto antiga onde o vestido era LINDO – pra época – mas que hoje não seria nada atual e acabou deixando a impressão de antigo, fora de moda, gerando aquelas cobranças do tipo “como usei isso?”… e essa é uma sensação super comum quando optamos por um modelo com alguns detalhes que marcam o momento.

Uma dúvida muito frequente que gera em todas as noivas logo no início da escolha de seu vestido é a decisão por um modelo a Pronta Entrega – que basicamente será aquele encontro marcado que a gente costuma brincar entre a noiva e o vestido, de se ver no espelho e vir aquela emoção, ou Sob Medida – quando ele será construído exatamente da forma como ela sonhou e esse encontro será criado ao longo do caminho… passando pela fase da paixão por aquela imagem de inspiração,  depois aquele namoro entre as provas, e quando finalmente ele surgir.

Mais alguém aí é apaixonada por um vestido de festa nude?

Eu amo essa cor de paixão.. acho lindo, sofisticado, faz parte das minhas cores prediletas. Independente da tonalidade, usar um vestido nude é chique, realça a delicadeza e ao mesmo tempo a sensualidade da mulher.

Ela era criança quando rabiscou os primeiros vestidos. Adorava criar roupas para suas bonecas e costurar pra si e pras irmãs.

Minha mãe, Miriam, até se formou em Biologia. Mas era a alta costura que fazia seus olhos brilharem como os vidrilhos e miçangas dos vestidos do ateliê que iniciou em 1982. Naquele tempo, a ideia era fazer algo que gostasse e pudesse conciliar com a maternidade.